12 de March, 2018

Quando o empreendedor não é mais necessário

Você já imaginou construir uma empresa passo a passo, colocá-la nos trilhos, atingir o sucesso e depois sair de cena? Parece uma situação inusitada e que não é tão comum aos empreendedores brasileiros, já que muitos ainda têm um senso de controle que os leva a se sentir imprescindíveis.

Mas vários empreendedores já provaram o sabor desta experiência, que não tem nada de amarga. Trata-se de construir e deixar um legado e observar a “cria” andar com as próprias pernas, adquirir independência, enquanto você se dedica ao desenvolvimento de outras “crias”, outras atividades, outros negócios, outros sonhos.

O importante é saber decidir se chegou o momento de sair de cena ou se ainda é necessário bater ponto diariamente na empresa. Para ter certeza se o momento chegou, comece a fazer alguns testes, ausentando-se por dias, depois semanas e então períodos maiores da empresa. Se o resultado do negócio não mudou ou melhorou é sinal que você não é mais tão necessário. Isso não tem nada de ruim, pois você finalmente terá liberdade e tempo para se dedicar a outras atividades.

Se ocorreu o contrário, ou seja, se a empresa ficou estagnada, sem comando, sem rumo, significa que você não preparou adequadamente seus sucessores e que sua presença ainda é imprescindível. Isso pode ser positivo apenas se a empresa ainda estiver em fase de desenvolvimento, nos primeiros anos de vida. Caso a empresa já esteja consolidada no mercado, pode mostrar uma fraqueza ou falha de gestão.

Lembre-se: ninguém é eterno, por isso você precisa aprender a passar o bastão e inspirar outros a seguirem o que você acredita. Desta forma garantirá a longevidade do negócio, mesmo quando você não estiver mais presente. Caso contrário, ao sair de cena, as cortinas podem se fechar não só para você, mas também para a sua empresa e a todos que dela dependem.

Categorias: [ Comportamento ] [ Geral ] [ Negócios ]

1 Comentário

  1. luciano - 30 de March, 2018 @ 9:47 pm

    Isso ainda é espinhoso, pois passa por duas questões.
    A primeira é como conseguir pessoas 100% engajadas e de total confiança, pois deixando o bastão na mão de outros, continuamos responsáveis.
    Quando damos 100% de autonomia, pode ser que algumas pessoas com desvio de caráter acharem que devam trabalhar menos ou ganhar além do que já são pagos.
    A segunda é realmente treinar para que tenham ideias no negocio e com isso, inovem quando necessário.
    Sem um tutor, algumas pessoas tendem a se sentirem inseguras.

Comentário

Dr. José Dornelas

Empreendedor, palestrante e autor de livros best-seller.

[ veja a biografia ]

Meus Livros

Clique em cada livro para saber mais, degustar e comprar.

  • Empreendedorismo - 7ª Edição Revista e Ampliada Empreendedorismo - 7ª edição
    Transformando ideias em negócios. [+]
  • Plano de negócios com o modelo Canvas Introdução ao empreende- dorismo - 1ª edição
    Ludismo, jogos e empoderamento empreendedor. [+]
  • Plano de negócios, seu guia definitivo Plano de negócios, seu guia definitivo - 2ª edição
    Como planejar e criar um negócio de sucesso. [+]
  • Plano de negócios com o modelo Canvas Plano de negócios com o modelo Canvas
    Guia prático de avaliação de ideias a partir de exemplos. [+]
  • Empreendedorismo na Prática Empreendedorismo na prática - 3ª edição
    Mitos e verdades do empreendedor de sucesso. [+]
  • Empreendedorismo corporativoEmpreendedorismo corporativo - 3ª edição
    Como ser empreendedor, inovar e se diferenciar na sua empresa. [+]
  • Meus Outros Livros
Produzido por Webcore