6 de March, 2015

O poder do sorriso para engajar equipes e resolver problemas

Sorrir é um remédio poderoso. E nós sabemos disso intuitivamente. No mundo dos negócios, porém, nem sempre o sorriso é visto como um ingrediente que pode aumentar a performance das equipes.

No mundo corporativo, umas das atividades mais maçantes que se tornaram quase unanimidade quanto à sua falta de eficácia são as inúmeras reuniões das quais as pessoas precisam participar.

Além de passar a sensação de perda de tempo, muita gente também fica mal-humorada e pensando em outras atividades que precisam ser concluídas.

O foco deixa de existir. A ansiedade e o mau humor não raro se tornam presentes no dia a dia mesmo ao final da reunião.

Algumas pessoas conseguem se safar dessas armadilhas sorrindo. E fazem isso naturalmente. Outras precisam de algum estímulo. O fato é que pesquisas mostram que o sorriso pode inclusive aumentar a performance das equipes durante as reuniões.

Isso foi constatado por Nale Lehmann-Willenbrock da VU University Amsterdam e Joseph A. Allen da University of Nebraska, ao analisarem 54 equipes em duas organizações industriais da Alemanha.

Ao analisar times de pessoas que experimentaram interações humorísticas durante reuniões, tais como uma piada, seguida de risadas que levaram a outra piada, constataram que suas avaliações de performance quanto ao atingimento de objetivos foram consideradas mais positivas na visão dos supervisores.

A razão aparente é que as interações humorísticas desencadeiam comportamentos de resolução de problemas importantes, inclusive estimulando os membros das equipes a discutir sobre novas ideias.

A natureza interativa do humor é importante, pois o efeito se torna nulo sobre o desempenho dos grupos quando uma piada não é seguida de gargalhadas por outros membros da equipe, bem como não estimula uma nova piada e novas risadas.

O fato é que a sensação de quebrar o gelo, proximidade, descontração, podem sim engajar as pessoas a trabalhar com menos restrições em grupo e baixarem a guarda, ou seja, não ficarem tanto na defensiva.

O interessante é que o resultado foi constatado em uma pesquisa com alemães, estereotipados por serem sérios. Já para os brasileiros, irreverentes por natureza, será que tal constatação também se aplicaria?

Sorrir faz bem, mas sorrimos pra valer quando algo espontâneo acontece e isso contagia quem está à sua volta, sejam brasileiros ou estrangeiros.

Pense a respeito das reuniões das quais participa e nas que ainda participará nos próximos dias. Talvez caiba uma piada, mas se for sem graça e não causar reação nos demais participantes, o resultado pode ser contrário ao imaginado.

Este texto foi publicado originalmente no site UOL Empreendedorismo.

Categorias: [ Comportamento ] [ Geral ] [ Negócios ]

Comentário

Dr. José Dornelas

Empreendedor, palestrante e autor de livros best-seller.

[ veja a biografia ]

Meus Livros

Clique em cada livro para saber mais, degustar e comprar.

  • Empreendedorismo - 7ª Edição Revista e Ampliada Empreendedorismo - 7ª edição
    Transformando ideias em negócios. [+]
  • Plano de negócios com o modelo Canvas Introdução ao empreende- dorismo - 1ª edição
    Ludismo, jogos e empoderamento empreendedor. [+]
  • Plano de negócios, seu guia definitivo Plano de negócios, seu guia definitivo - 2ª edição
    Como planejar e criar um negócio de sucesso. [+]
  • Plano de negócios com o modelo Canvas Plano de negócios com o modelo Canvas
    Guia prático de avaliação de ideias a partir de exemplos. [+]
  • Empreendedorismo na Prática Empreendedorismo na prática - 3ª edição
    Mitos e verdades do empreendedor de sucesso. [+]
  • Empreendedorismo corporativoEmpreendedorismo corporativo - 3ª edição
    Como ser empreendedor, inovar e se diferenciar na sua empresa. [+]
  • Meus Outros Livros
Produzido por Webcore