1 de October, 2013

Caso 4 – Frooty – Dilema 1 – Livro Empreendedorismo

A paixão de Marcelo sempre foi o esporte e ele chegou a se destacar como tenista profissional quando adolescente. O sonho de ser famoso como tenista não aconteceu, mas sua carreira como empreendedor tem lhe proporcionado grandes resultados e reputação no mercado onde atua. Como você avalia o caminho traçado por Marcelo e o fato de ter desistido de uma carreira promissora no tênis? O que você pensa sobre o empreendedor seguir o seu sonho mesmo quando há grandes adversidades criando obstáculos no caminho?

26 Comentários

  1. Ana Paula D'Avoglio [MBA-USP] - 20 de March, 2014 @ 4:48 pm

    O Marcelo comenta que seu sonho era ser famoso no meio do esporte e que era difícil conviver com derrotas. Acredito que a busca de reconhecimento em um país onde o esporte não é tão valorizado seja bastante complicado.
    Marcelo começou a carreira de tenista muito cedo e, como ele diz, estava cansado e sentia falta de coisas que deixou de viver em sua infância devido ao tênis. Acredito que se o sonho dele fosse exclusivamente jogar tênis, ele não ficaria 12 anos sem jogar após desistir dessa carreira.
    Quando buscou um negócio próprio, ele se dedicou muito e conseguiu o sucesso/reconhecimento no mercado de açaí, acredito que o desafio aliado às vitórias fizeram com que Marcelo não desistisse desse ramo e não se arrependesse de ter largado o esporte.
    É muito difícil quando falamos de sonhos, para uns isso é claro e para outros nem tanto. O que quero dizer é que nossos sonhos podem mudar e também precisamos identificar o que queremos fazer profissionalmente (nosso sonho) e quais são nossos hobbies.
    Quando temos certezas dos nossos sonhos, os obstáculos são podem ser chamados de desafios que o empreendedor passará.

  2. Fabbio P N Santos - 20 de March, 2014 @ 8:41 pm

    Não vejo como sendo esse um caminho de sucesso para uma pessoa que queira iniciar seu negócio, pois conforme afirmado por diversas vezes por Marcelo, quando perguntam se ele pudesse voltar atrás o que ele mudarias e então ele afirma, me informaria melhor , faria uma pesquisa de mercado, um plano estruturado de negocio, sendo assim ele perderia menos dinheiro, porém a persistência e vontade de vencer , o fez nunca desistir . A facilidade que ele teve e que nem todos tem ė dar continuidade em um negócio de família e que já estava em crescimento, facilitando ainda mais o seu sucesso.
    Primeiramente ele viu que este sonho, ser jogador de tênis , não estava dando um futuro econômico satisfatório , impossibilitando e prendendo ele em vários aspectos. Porém vejo que quando um sonho ė algo realmente que domina , tem conhecimento , pode ser rentável e viável na competição dentro do mercado de trabalho, deve ser seguido e colocado todas as fichas possíveis e confirmar no seu potencial, sendo assim as possibilidades de sucesso serão grandes.

  3. Rodrigo Rossi - 20 de March, 2014 @ 9:22 pm

    Marcelo foi muito ajudado pelo pai.
    Como ele mesmo disse, abandonou a escola aos 16 anos, teve que fazer supletivo aos 18 e não cursou uma faculdade, sendo assim extremamente despreparado para empreender.
    Seu pai lhe forneceu o capital e a primeira oportunidade com a frozen yogurt, onde conseguiu adquirir experiência para montar a frooty.
    Sendo assim não considero que seja o caminho mais ortodoxo, mas funcionou para ele.
    Seguir o sonho é necessário, mas tem que haver planejamento, pois caso contrário nunca sairá do sonho.

  4. Eduardo Silva Cabral (MBA USP) - 20 de March, 2014 @ 10:05 pm

    Colocar seus sonhos em prática é basicamente a filosofia do empreendedorismo. As adversidades e os obstáculos ocorrerão e é nesse ponto que um bom planejamento permite ao empreendedor uma visão mais ampla de seus riscos. Desistir de uma carreira promissora no tênis para seguir um sonho é o que torna Marcelo um exemplo de empreendedor, e demonstra mais uma vez que além da ideia e da oportunidade, a coragem é um fator determinante para um empreendimento de sucesso. E essa coragem motiva o empreendedor a transpor todas as barreiras que seu empreendimento irá encontrar.

  5. Luiz Cláudio F. de Oliveira - 20 de March, 2014 @ 10:49 pm

    O real motivo pelo qual Marcelo desistiu do esporte não é descrito claramente, mas pode-se notar que possivelmente foi devido a falta de um apoio psicológico, onde ele se viu desprestigiado e sem o apoio devido num pais onde sua modalidade era praticamente desconhecida naquele tempo.
    O empreendedor tem que ter o perfil de automotivador e perseverante, já que dificuldades e erros irão acontecer e isto não deve afetá-lo de tal forma que o desmotive e o faça abrir mão de seu sonho.

    Luiz Cláudio Ferreira de Oliveira
    PECE/USP

  6. Monique B. N. Verga - MBA USP - 21 de March, 2014 @ 9:19 pm

    1. Para avaliar o trajeto traçado pelo Marcelo, prefiro analisar como duas etapas diferentes, pois ele não trocou o esporte pelo sonho de se tornar empreendedor, então não enxergo uma ligação direta entre as duas fases. Ao que me parece, ele não tem certeza absoluta do que realmente o levou a desistir dessa carreira. Porém, independentemente se conseguimos usar os conhecimentos técnicos de uma experiência anterior ou não, ao menos as experiências pessoais são grandes benefícios que trazemos para uma fase seguinte da vida. No caso do Marcelo, a experiência como esportista trouxe a disciplina, o fez aprender a lidar com a competitividade e a ter garra para vencer. Estas são habilidades extremamente agregadoras para um empreendedor.

  7. Pablo Barbosa - 22 de March, 2014 @ 10:07 am

    Podemos avaliar que foi um investimento de alto risco com poucas possibilidades de acerto, pois se analisarmos conforme conceitos adquiridos em sala de aula, estamos avaliando uma pessoa que em toda juventude teve uma vida em função do esporte. Após analisar com critério a possibilidade de fracasso em sua carreira esportiva, e considerando o incentivo financeiro de seu pai, ele apostou em uma área que não tinha conhecimentos, experiência e sem um plano de negócio bem elaborado.
    Existe um trecho de sua entrevista que ele comenta a seguinte frase para os futuros empreendedores “Antes de começar, faça pesquisas, planejamento, etc. Estude bastante o setor no qual irá entrar, conheça os concorrentes, a situação do mercado e avalie seus conhecimentos em geral”.
    Sinceramente não acredito em sonho, mas sim em grande intuição, indiferente da percepção que tenha o mais importante e colocar os pensamentos no papel, realizar uma pesquisa para tentar enxergar como será aceito seu produto no mercado, realizar um bom plano de negócio e caso os resultados sejam satisfatórios em sua pesquisa, planejar o inicio do trabalho.
    Dificuldades e adversidades vão ocorrer a todo o momento, porem se tiver conhecimento, muito estudo e planos, a chance de passar por esse momento será mais fácil.

  8. Guilherme Simas - 22 de March, 2014 @ 10:15 am

    Sei, por experiência própria (também fui tenista de competição quando adolescente) a descrição das características que o tênis proporcionou ao Marcelo (vontade de vencer, controle emocional, estudar o adversário, bolar e mudar de estratégia). O fato de que um tenista top 80 perca cerca de 60% de suas partidas foi uma informação surpreendente para mim.
    Vejo que tais experiências de vida foram usadas pelo Marcelo na sua carreira empreendedora. A resistência com derrotas para superar as adversidades foram muito importantes para que fosse criada a marca Frooty. Creio que todas grandes conquistas possuíram muitas derrotas ao longo do caminho. Ter ficado quase 5 anos para que a marca deslanchasse exigiu muita persistência. Ele reconhece que faltou conhecimento, planejamento, estudo. E foi buscá-lo à posteriori para garantir o sucesso da companhia.

  9. Livia Rosso Siqueira - 14 de April, 2014 @ 4:33 pm

    Verificamos que se o Marcelo tivesse se estruturado melhor, verificado, ponderado melhor a situação, talvez nao teria tido tantas dificuldades. Nao acredito em sorte, mas sim em planejamento bem feito, com pesquisas de mercado realistas, sem excessos e sonhos mirabolantes.

  10. Daniel Gonzalez - 6 de March, 2015 @ 12:18 pm

    O empreendedor deve seguir seu sonho mas deve estar preparado, e planejar quais serão seus possíveis desafios e onde quer chegar. Segundo Marcelo, a falta de uma experiência em uma grande empresa fez falta, mas como manteve-se persistente consegui alcançar o ponto de equilíbrio. O fato de ter abandonado a promissora carreira de tênis, é algo que não se arrependeu.
    “Daniel Gonzalez”

  11. Ricardo Marques Pimenta - 8 de March, 2015 @ 8:15 pm

    Entendo que Marcelo não se vi mais motivado para prática do Tênis, seja pelas dificuldades e pouco reconhecimento que há nessa modalidade. Ressalta-se que é um esporte elitizado. Se comparado ao Futebol, há várias histórias de jogadores promissores de futebol que sucumbem – mesmo com o talento – e acabam virando serviçais no trabalho, por não ter tido qualificação. Marcelo teve capacidade de Empreender e de se ver vitorioso em alguma atividade, contou com apoio de seu pai.

  12. Marcos Cesar de Oliveira Melo - 10 de March, 2015 @ 11:56 pm

    O caso de Marcelo é similar em alguns aspectos a tantos jovens empreendedores, que deixam empresas e/ou atividades que outrora lhe garantiam sucesso e renda para iniciar novas empreitadas até então desconhecidas. Pelo que tenho aprendido no curso de Empreendedorismo, é exatamente esta busca, a realização do sonho, da realização pessoal e não necessariamente financeira, que move o empreendedor a arriscar carreiras de sucesso por novos desafios, mesmo cientes dos riscos.

  13. Emerson Gibim - 47670 - 13 de March, 2015 @ 8:23 pm

    O perfil do Marcelo em gostar de competir no esporte, no caso tênis, mostra que tinha aptidão para o empreendedorismo. A ajuda do pai para abrir o negócio com frozen yogurt foi fundamental para iniciá-lo no ramo de negócios, e mesmo não tendo qualquer conhecimento de gestão e administração, conseguiu com muito trabalho e o desejo de vencer superar as dificuldades iniciais e “agarrar” a oportunidade de criar um novo negócio.

  14. Andre Luiz Chagas Lisboa - GEP029 - 13 de March, 2015 @ 11:54 pm

    Entendo que o Marcelo tinha um sonho de ser um grande tenista e durante sua adolescência viveu parte de seu sonho, mas não o converteu em realidade. Analisando os motivos da desistência com o Tênis, explanados por Marcelo, noto que ele não usa a frase “e, mesmo assim, continuei tentando, até engrenar!”. Está frase é como se fosse um mantra e, deve ter sido repetida inúmeras vezes, até que fez o verdadeiro sonho se materializar num resultado positivo. Resultado que gera satisfação por fazer outras pessoas empreenderem e progredirem.
    Penso que para ser um empreendedor, você precisa ter um sonho, precisa estar disposto a trabalhar muito e com perseverança. Empreender é como orquestrar, pois se o sonho, o trabalho, a perseverança e o equilíbrio mental e físico não estiverem em consonância, o sucesso não procede. O Marcelo, durante anos, foi afinando sua “orquestra” e continuará assim, pois sente a necessidade de inovar, assim como um maestro, que a cada concerto, faz um espetáculo melhor e mais afinado.

  15. Stefano Gatti W. A. Lima - 13 de March, 2015 @ 11:58 pm

    Desistir da carreira no tênis foi uma decepção na tentativa de realizar um sonho, assim como muitos empreendedores acabam não tendo sucesso em sua primeira experiência como dono de um negócio. A tentativa do Marcelo de empreender foi mais uma para realizar um sonho, mesmo despreparado o Marcelo conseguiu ter sucesso com a empresa, pois identificou uma oportunidade de negócio, teve muita força de vontade e trabalhou com muita garra, qualidades que ele aprendeu na sua primeira tentativa de realizar um sonho, no esporte. Enquanto o empreendedor consegue visualizar de forma racional que o seu sonho é possível, ele deve lutar para que isso aconteça. A partir do momento em que ele vê que a realização do sonho é impossível, ele tem que perceber que deve desistir e buscar outro caminho.

  16. Isadora Palin - MBA USP - 14 de March, 2015 @ 3:10 pm

    É difícil falar sobre desistir de um sonho, mas entendo o fato de que no Brasil quando o sonho é esporte a situação fica ainda mais difícil, pois não há recursos e tenho muitos amigos que como o Marcelo desistiram do sonho profissional pela falta de estrutura e incentivo. Acredito também que o fato de desistir é uma maturidade necessária quando você percebe que esse sonho já não te satisfaz como antes e que está na hora de buscar novas oportunidades.
    Acredito que no Caso do Marcelo o empreendedorismo foi uma situação que surgiu em um momento junto ao pai e que ele seguiu pela situação do momento, ele se tornou um empreendedor ao longo dos anos, não tinha inicialmente essa pretensão.
    Acredito que é muito importante o empreendedor ter um sonho e persegui-lo, pois faz parte da paixão dele com o negócio e é preciso ter consciência de que muitos obstáculos aparecerão e que não se pode desistir fácil, porém é necessário ter maturidade para entender o momento em que se deve parar para não focar em um projeto que não vai dar certo se apegando apenas no sonho e paixão.

  17. Antonio Carlos Camargo Leite - 14 de March, 2015 @ 6:54 pm

    Acredito que o “fundo de pano” para Marcelo ter desistido da carreira de tenista foi exatamente o que ele afirma mais à frente quando questionado o que mudaria na sua estratégia de negócios: planejamento. Parece que faltou na carreira de tenista alguém que lhe ajudasse desde pequeno a planejar, estruturar a carreira de tenista num contexto mais completo de sua pessoa – um planejamento que lhe permitisse dedicar plenamente ao tênis mas sem se distanciar daquilo que era: uma pessoa, um homem que se formava (que precisava continuar minimamente estudos, momentos de vida familiar, etc.), em resumo: “máquinas quebram”! No negócio da Frooty, iniciado na tutela de seu pai em mercado de frutas, Marcelo pôde ter começado a tomar ciência disto! Acredito que o sonho do empreendedor é a grande engrenagem e motor que ele possui, mas o empreendedor não deve ser “kamikaze” ao enfrentar obstáculos e sim aprender a calcular riscos e assim assumi-los e superar os obstáculos no caminho, ainda que sejam “grandes obstáculos”!
    Antonio Carlos Camargo Leite – MBA Poli PECE 2015

  18. Felipe Pimentel - 14 de March, 2015 @ 6:58 pm

    A carreira de tenista de Marcelo trouxe a ele muitos ensinamento que ficarão para sempre em sua vida pessoal e que pode aplicar na sua vida profissional. O fato de ele ter desistido da carreira de tenista pelo fatores que ele mesmo cita no livro não o fez desistir de enfrentar o mundo de negócios que influenciado pelo pai, traça um caminho de sucesso até então.
    O que move o empreender através de todos os imprevisto, percalços e riscos que sempre há durante a vida de uma empresa são, na minha opinião, a vontade, a determinação e um sonho a ser alcançado. Sem que haja um sonho por trás de um objetivo de sucesso empresaria certamente seria mais difícil superar as adversidades ao longo do caminho.

  19. Laiana Gamba de Araujo - 14 de March, 2015 @ 8:05 pm

    Nos dias atuais é muito comum essa característica entre meus amigos, eu mesmo me identifico com esse perfil e tenho o sonho de ter meu próprio negócio no ramo têxtil.
    Tenho uma amiga de colégio que abriu sua própria loja de bijuterias “Prado accessories” onde ela sempre teve o perfil muito similar ao de Paulo ,começou expondo suas bijuterias em redes sociais sempre tendo como carro chefe Maxicolares e hoje já possui uma loja em Pinheiros e promove parcerias com televisão .
    Acredito que as empresas mais indicadas para o perfil de Paulo é a parte imobiliária como a MRV que vem crescendo muito.

  20. Laiana Gamba de Araujo - 14 de March, 2015 @ 8:17 pm

    Acredito que Marcelo soube aproveitar bem as oportunidades em seu caminho, mesmo tendo desistido do tênis que era seu grande sonho, ele pegou os ensinamentos aprendidos como a persistência, disciplina e a grande vontade de crescer como profissional do tênis e o levou para a criação do Frooty.

    Admiro muito empreendedores que não tiveram estudo ou experiência anteriores e conseguem fazer dar certo, pois como Marcelo cita acaba passando por maiores desafios e adversidades.

  21. Ricardo Pelicioni - 14 de March, 2015 @ 8:57 pm

    Como tenista, Marcelo teve a oportunidade de experimentar situações que o levaram a crer em um sonho e trabalhar em prol disto, mesmo em face de dificuldades (o cansaço gerado por viagens, a ausência de convívio social e por fim a percepção de que a competir em nível profissional poderia ser frustrante).

    De forma análoga, podemos usar estes exemplos para ilustrar o que muitos dos novos empreendedores enfrentam em sua jornada, que vão desde o sonho em concretizar suas ideias em negócio, até as mais variadas adversidades presentes no processo.

    Assim sendo, defino como notável a opção de Marcelo por desistir de uma carreira promissora e se aventurar pelo desconhecido, a exemplo do que é feito por inúmeros empreendedores através de seu desejo em converter de seus ideias em realidade.

  22. Daniela Jin Hee Kim (MBA USP) - 14 de March, 2015 @ 11:15 pm

    Creio que o tênis sempre tenha sido seu sonho, até o momento em que jogar tênis e ganhar campeonatos já não era mais o suficiente para ele. E de fato, sua desistência na carreira de tenista lhe abriu novas portas, novas oportunidades. Esse novo negócio que surgiu a partir de uma porta aberta, meio que imposta, por seu pai, gerou uma ideia muito coerente com o mercado emergente da época e com e conhecimento e experiência que sua família também tinha com relação ao açaí, que se tornou seu novo sonho. Apesar das adversidades, o fato de Marcelo não ter desistido do seu sonho possibilitou que ele se realizasse de fato, já que muitos ditos empreendedores, ao se debaterem com os riscos de fracasso, logo desistem da ideia de um novo negócio. Acho muito válida e necessária essa perseverança pelo sonho, apesar dos riscos, pois isso diferencia o empreendedor de um administrador e/ou gestor.

    Daniela Jin Hee Kim (MBA USP)

  23. Juliana Tomaz da Silva - MBA USP- maticula 48271 - 14 de March, 2015 @ 11:47 pm

    O fato de ele ter mudado é um demérito. Na busca do sonho como tenista ele teve uma importante maturidade pessoal que certamente o ajudou no seu outro desafio. Acredito que é importante medir o que precisa para realizar um sonho e saber se dispõe de todos os recursos, ver se é factível. o contrário pode demandar muita energia e tempo e gerar uma frustração maior. Faz parte da vida se reinventar e descobrir novas alternativas. Muitas vezes pra atender seus objetivos é preciso mudar de estratégia. O importante é saber onde se quer chegar e ter a coragem se reinventar.

  24. Tamires Borges - 5 de March, 2016 @ 12:58 pm

    O esporte trás formações de condutas e racionalidade que podem influenciar em qualquer aspecto da sua vida, como traçar estratégicas, analisar adversários, ter controle emocional, e mesmo que Marcelo tenha deixado o tênis, este influenciou bons aspectos na sua vida de empreendedor.

    Vejo que empreendedoras em sua maioria, enfrentam adversidades e obstáculos ao longo do caminho, mas ter um sonho e ser apaixonado por ele faz com que você consiga superar as batalha. Acredito que o sonho do seu negócio te motiva e te faz expandir além das barreiras existentes no caminho. O sonho é o combustível do empreendedor!

    Tamires Borges da Silva

  25. josiane - 15 de May, 2016 @ 7:14 am

    Vejo que Marcelo desistiu do sonho de ser um tenista famoso e reconhecido devido a rotina.Trilhar novos caminhos foi essencial para sua vida, pois como empreendedor ele esta realizado,teve experiências anteriores que o ajudaram muito.Para realização de um sonho deve-se ter planejamento e maturidade, desta forma não há adversidades que te derrubem.

  26. Leonardo Stuart Martinussi - 3 de March, 2017 @ 10:19 pm

    Jogo tênis amadoramente e garanto que cada partida tem uma tensão enorme. Quem dirá em partidas de torneios profissionais ou mesmo os de Grand Slam que eram o sonho da carreira dele.
    Certamente a rotina muito desgastante o cansou e o fez parar no meio do caminho.
    Mas o espírito guerreiro solitário do tenista foi levado com ele para o mundo dos negócios.
    Creio que foi esse espírito que o manteve no caminho no começo da Frooty e o ajudou a perseverar mesmo quando ainda perdia dinheiro.

Comentário

Dr. José Dornelas

Empreendedor, palestrante e autor de livros best-seller.

[ veja a biografia ]

Meus Livros

Clique em cada livro para saber mais, degustar e comprar.

  • Empreendedorismo - 7ª Edição Revista e Ampliada Empreendedorismo - 7ª edição
    Transformando ideias em negócios. [+]
  • Plano de negócios com o modelo Canvas Introdução ao empreende- dorismo - 1ª edição
    Ludismo, jogos e empoderamento empreendedor. [+]
  • Plano de negócios, seu guia definitivo Plano de negócios, seu guia definitivo - 2ª edição
    Como planejar e criar um negócio de sucesso. [+]
  • Plano de negócios com o modelo Canvas Plano de negócios com o modelo Canvas
    Guia prático de avaliação de ideias a partir de exemplos. [+]
  • Empreendedorismo na Prática Empreendedorismo na prática - 3ª edição
    Mitos e verdades do empreendedor de sucesso. [+]
  • Empreendedorismo corporativoEmpreendedorismo corporativo - 3ª edição
    Como ser empreendedor, inovar e se diferenciar na sua empresa. [+]
  • Meus Outros Livros
Produzido por Webcore